Atualizado em 19.07.2014

Atualizado em 19.07.2014

domingo, 20 de março de 2011

Câncer, formol x câncer x alisantes, Diagnóstico: Você conhece essas palavras ? PLANTAS QUE DESPOLUEM O AMBIENTE, explicando palavras usadas

MUITAS VEZES O PROBLEMA É SÉRIO, MAS A SOLUÇÃO PODE SER MUITO SIMPLES!

HÁ UMA GRANDE DIFERENÇA ENTRE FOCO NO PROBLEMA E FOCO NA SOLUÇÃO.


O Câncer é uma doença complexa. São várias as causas que começam com um sistema de defesa enfraquecido em todos os campos e corpos. Estilo de vida, estresse, memórias doloridas, sentimentos, emoções, atitudes, conviver com toxinas e ou pessoas tóxicas, em regiões patológicas ...

Usa-se o termo câncer para diagnósticos em que as células que se tornaram doentes e não são eliminadas corretamente e por encontrarem um campo favorável elas se proliferam.

Comprometem o funcionamento do órgão em que estão e desequilibram os sistemas. Os órgãos trabalham interligados.

Através da corrente sanguínea, onde o plasma se encontra "sujo"e  ácido  elas se espalham pelo corpo.  É sempre interessante fazer uma consulta para descobrir o que causou e que está causando a patogenia para podermos fazer um protocolo individual.

 SUGESTÃO DE TRATAMENTO: "proteger" o máximo a pessoa das influências internas que acidificam ( fungos, bactérias,vírus, parasitas, vermes ... outros micro organismos que causam as doenças) e  externas ( toxinas, químicas, fumaças, fungos de paredes, ácaros etc... - Para esses casos indicamos o uso do GFU - Aparelho de Eletroterapia 
http://gfugeradordefrequencia.blogspot.com/2011/03/x_1065.html

e para a limpeza e oxigenação do ambiente indicamos o P10 
 http://mineraisnaturais.blogspot.com/2011/09/56.html

Em casos de estresse, insônia, depressão e medos indicamos - Magnovital.
http://mineraisnaturais.blogspot.com/2011/09/55.html

Reforçar o sistema imunológico com os Minerais NATURAIS na dosagem correta.
http://mineraisnaturais.blogspot.com/2011/09/57.html

Objetivo do tratamento: limpeza do sangue, oxigenação e aumento do sistema imunológico/sistema de defesa para colaborar com o equilíbrio de todos os sistemas favorecendo a cura.

https://gfugeradordefrequencia.blogspot.com.br/2011/03/x_1065.html

FELIZ SAÚDE VERDADEIRA !!!! LUZ e PAZ Helô

helofontoura@hotmail.com
fone: 19 38780565
19 995224433 (Watts - Claro) 

As células humanas em um indivíduo saudável estão em constante reprodução, pois este processo representa a vitalidade que envolve o crescimento, o desenvolvimento e manutenção dos diversos órgãos, tecidos, ou fluidos do corpo.

As células que cumpriram seu tempo de vida ou que foram danificadas por agressões internas ou externas ao organismo são substituídas pelas novas. 

Se o sistema de autodefesa (sistema imunológico) do indivíduo estiver forte e equilibrado, esta célula "diferente" será descoberta e destruída. E caso precise de uma ajuda para a excreção sugerimos o uso da Solução Regenerador FA



 Se isto não ocorrer, as células "diferentes" terão a possibilidade de se reproduzir, formando uma grande quantidade de células "diferentes" as quais podem se disseminar para outras partes do corpo ou formar aglomerados, denominados tumores.


Resumindo:
Células sadias vivem em um ambiente alcalino e oxigenado, o qual permite seu normal funcionamento:


Células do câncer vivem em um ambiente extremamente ácido e carente de oxigênio:

células se aglomeram por estarem em meio ácido e com sua ionização desequilibrada.

IMPORTANTE: Uma vez finalizado o processo da digestão, os alimentos de acordo com a qualidade de proteína, hidrato de carbono, gordura, minerais e vitaminas que fornecem, gerarão uma condição de acidez ou alcalinidade no organismo.

A quimioterapia acidifica o organismo e, um organismo muito ácido recorre às reservas alcalinas do corpo de forma imediata para neutralizar tanta acidez,sacrificando assim bases minerais (Cálcio, Magnésio, Potássio entre outras). Neste caso sugerimos o Skrill, Magnovital e o Carbovital.
https://p10professorantunes.blogspot.com/

RADIAÇÕES E O CÂNCER - matéria completa em


Abaixo a explicação de palavras usadas em diagnósticos e explicações.

20 Caminhos para um efetivo fazer acontecer

1.  Visualize com detalhes, como se tudo já estivesse realizado. Imagine com detalhes o estado desejado. Essa imagem cristalina é algo que irá naturalmente orientá-lo quanto ao que deve ser feito (como começar etc.).
2.    Dê rapidamente o 1° passo. Confie nos “lampejos” que você tem. Se você sente confiança interior (não pense em explicar) aja sem hesitação e dê o primeiro passo. A natureza fará a seqüência acontecer (outros passos seus e de outras pessoas que você toca no 1° movimento).
3.   Faça tudo "de corpo e alma". Não seja “morno” “fazendo por fazer”. Até o “impossível” se torna possível quando nos envolvemos integralmente.
4.  Faça tudo com muita boa vontade e prazer. As probabilidades de dar certo aumentam tremendamente quando fazemos tudo com a mente alegre.
5.    Seja otimista. Não se deixe influenciar pelos cínicos e pelos pessimistas. Ajude a construir o ideal, a cada dia dando o passo do dia.
6.    Concentre-se nos seus pontos fortes. Ao invés de se deixar bloquear por eventuais pontos fracos, ancore-se no que você tem de melhor.
7.  Concentre energia. Evite desperdiçar energia fazendo as coisas “de forma picada”, ou começando muitos projetos sem nada concluir.
8.  Decole e vá aperfeiçoando em pleno vôo.  Planeje o suficiente. Evite “afogar-se” em “planejamentos que nunca terminam” ou planos que nunca saem do papel.
9.   Esteja sempre focado na busca de soluções. Use sua energia na busca de soluções ao invés de desperdiçá-la meditando somente sobre problemas.
10. Crie condições favoráveis. Procure trabalhar as barreiras positivamente até que elas se enfraqueçam ou desapareçam ao invés de tentar atravessá-las à força.
11. Seja natural. Não seja derrotado pelo “excesso de esforço”. Faça o que tem que ser feito e mantenha a tranqüilidade interior. Dê espaço para a natureza também fazer a sua parte...
12. Pense sempre nos riscos e nas recompensas. Não se deixe imobilizar pelos riscos. Equilibre sempre tentando visualizar as recompensas possíveis. Uma vez que o balanço lhe pareça equilibrado, aja conforme sua intuição.
13.Neutralize os "palpiteiros inconseqüentes". Não se deixe influenciar por “opiniões” irresponsavelmente colocadas pelos outros. Aprenda distinguir conselhos sábios, bem intencionados de comentários “rotineiramente" jogados pelas pessoas.
14. Evite meditações longas. Não desperdice energia refletindo demais, principalmente se forem especulações negativas. Ao invés disso, comece a caminhar, mesmo através de um pequeno passo.
15.Seja transparente. Nem sequer pense desonestamente pois isso drena sua energia. (Já imaginou quanto de energia gastamos, para “proteger” a mentira contada ontem?). Ser transparente multiplica energia. Energia que faz acontecer.
16.Seja generoso. “A generosidade move montanhas”. As coisas fluem melhor à sua volta porque a generosidade faz agir. “Picuinhas” ao contrário imobilizam as pessoas.
17.Aja sempre numa postura ganha-ganha. Evite a postura do tirar vantagem de tudo. Aja pensando  em benefícios para todos. As coisas passam a acontecer com mais fluidez.
18.Confie 100% em sua força interior. Fazer acontecer exige fé. Principalmente em si mesmo. É essa convicção que o deixa solto para fazer o que é necessário.
19.Busque excelência sempre. Um fazer acontecer efetivo deve sempre estar ancorado na busca do melhor, do perfeito, do ideal. Quão próximos chegaremos à perfeição é outra coisa. O alvo, porém, deve sempre ser a perfeição.
20.Chute acomodação e "imobilismo" para longe de você. A capacidade de fazer acontecer é algo para ser aperfeiçoado pela vida toda. Não se acomode. Procure sempre melhorar seu próprio recorde.
Autor: Oscar Motomura - Diretor do GRUPO AMANA-KEY.

http://radiomundial.com.br/podcast/?assunto=62
VALE ESCUTAR. 

GLOSSÁRIO

Amino-ácidos: moléculas orgânicas (contendo carbono) que funcionam como blocos construtores de proteínas.

Antioxidante: qualquer substância que previne ou reduz os danos causados por espécies reactivas de oxigénio (ROS) ou de nitrogénio(RNS). As ROS e RNS são substâncias químicas extremamente reactivas que atacam outras moléculas modificando a sua estrutura química.

Ataxia: falta de coordenação ou firmeza geralmente relacionada com um distúrbio no cerebelo, uma parte do cérebro que regula a coordenação e o equilíbrio.

Aterosclerose (ou Arteriosclerose): resulta da acumulação de placas de colesterol nas paredes das artérias. Esta acumulação de placas causa um estreitamento e perda da elasticidade das artérias.

Bile: fluido produzido no fígado e armazenado na vesicular biliar. A bile pode depois passar através do canal biliar comum para o intestino delgado, onde alguns dos seus constituintes ajudam a digestão de gorduras.

Calcificação: processo de deposição de sais de cálcio. É uma condição normal na formação óssea mas pode ser anormal noutros órgãos.

Hidratos de carbono: são considerados macronutrientes porque constituem uma importante fonte de energia da dieta. Quimicamente neutros, os hidratos de carbono são compostos de carbono, hidrogênio e oxigênio. Podem ser simples (açúcares) ou complexos (amidos e fibras).

Catecolaminas: substâncias com uma estrutura química específica (um anel benzénico com dois grupos hidroxilo adjacentes e uma cadeia lateral de etilamina) que funcionam como hormonas ou neurotransmissores.

Cirrose: condição caracterizada por danos hepáticos irreversíveis, conduzindo a uma função hepática anormal. Pode ter várias causas, entre as quais o consumo crônico de álcool e as hepatites virais B e C.

Citocromo P-450: uma classe de enzimas que desempenham um papel importante no metabolismo de fármacos e toxinas no fígado. São também importantes na síntese de hormonas esteróides no córtex adrenal.

Citoquinas: proteína produzida a nível celular que afecta o comportamento das outras células. As citoquinas actuam em receptores específicos nas células afectadas.

Colagénio: proteína fibrosa que é a base da estrutura da pele, tendões, ossos, cartilagem e todos os outros tecidos conjuntivos.

Colesterol: lípido usado na construção de membranas celulares e como precursor na síntese de hormonas esteróides. O colesterol da dieta é obtido a partir de fontes animais; mas o colesterol também pode ser sintetisado no fígado. O seu transporte no sangue é através de lipoproteínas (ex.: LDL e HDL). Na aterosclerose, o colesterol acumula-se em placas nas paredes de algumas artérias.

Demência: perda significativa das capacidades intelectuais, como a capacidade de memória, grave ao ponto de interferir com a vida social e profissional da pessoa afectada. A demência não é, por definição, resultante de depressão ou psicose. As suas causas são várias, sendo a principal a doença de Alzheimer.

Diminuição da tolerância à glucose: estado metabólico intermediário entre a regulação normal de glucose e os diabetes.

DNA (Ácido desoxirribonucleico): molécula longa constituída por grande número de nucleótidos. Estes são compostos por uma base contendo nitrogénio, uma desoxirribose e grupos fosfato. A sequência de bases no DNA permite a perpetuação da informação genética (hereditária).

Doença crónica: doença de duração mínima de três meses.

Doença de Parkinson: doença do sistema nervoso central causada pela degeneração dos gânglios basais e por baixa produção do neurotransmissor dopamina.

Doenças neurodegenerativas: doença progressiva do sistema nervoso central, como a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson, caracterizadas pela perda ou degeneração neuronal.

Efeitos tóxicos: resultado indesejável ou nocivo que decorre da acção de um agente físico ou químico sobre um sistema biológico. Esse efeito pode ser agudo ou crónico, imediato ou tardio, local ou geral, reversível ou irreversível. Quando dois ou mais agentes tóxicos actuam concomitantemente, o efeito pose ser aditivo ou potenciador.

Enzima: é um catalisador biológico: uma substância que aumenta a velocidade de uma reacção química sem alterar o processo geral. São de importância vital na regulação química de células e organismos.

Epilepsia: provoca convulsões como resultado do descontrolo da actividade eléctrica no cérebro. Pode também provocar distúrbios do pensamento, sinais físicos ou uma combinação de sintomas.

Espécie reactiva de oxigénio (ROS): espécies químicas altamente reactivas, contendo oxigénio, que reagem facilmente com outras moléculas resultando em alterações potencialmente danificantes.

Excreção: eliminação de detritos do sangue ou tecidos.

Exposição: estar em contacto com, ou submetido à influência de um agente patogénico, de uma substância ou à acção desta. Em toxicologia traduz a quantidade e condições físicas de interacção entre os organismos e tóxicos; o processo pelo qual uma substância tóxica é introduzida em/ou absorvida por um organismo (ou uma população) por qualquer via.

Gastrointestinal: referente a ou que afecta o estômago e intestino (delgado e grosso).

Gluconeogénese: produção de glucose a partir de precursores não hidratos de carbono.

Glutamato: um neurotransmissor excitatório que, em determinadas circunstâncias, se pode tornar tóxico para os neurónios. A excitotoxicidade do glutamato parece ter um papel importante na morte de células nervosas em doenças degenerativas.

Hipotálamo: área na base do cérebro que regula as funções corporais como a temperatura, a fome ou a sede.

Neurológico: que envolve nervos ou o sistema nervoso.

Neurotóxico: que exerce toxicidade no sistema nervoso.

Osteoporose: condição de fragilidade óssea aumentada e maior susceptibilidade à fractura devido a perda de densidade mineral óssea.

Remodelação óssea: processo contínuo de renovação óssea que inclui reabsorção e formação óssea. Ocorrendo desequilíbrio aumenta a fragilidade do osso podendo levar à osteoporose.

Síntese de novo: formação de uma molécula essencial a partir de moléculas precursoras simples.

Sistema nervoso central (SNC): o cérebro, espinal medula e nervos medulares.

Stress oxidativo: quando os efeitos oxidativos que afectam um organismo excedem a capacidade neutralizante dos seus sistemas anti-oxidantes.

Toxicidade: qualidade de uma substância que pode envenenar um ser vivo.

Tóxico: composto que provoca intoxicação no organismo.

Xenobiótico: substância estranha ao organismo.


Ex-pesquisador da Nasa ensina como se livrar da poluição em ambientes internos

Por Cristina Almeida
Especial para o UOL Ciência e Saúde
O que uma nave espacial, uma casa e uma empresa têm em comum? A resposta é a existência de várias substâncias voláteis químicas capazes de fazer com que o ar que se respira nesses ambientes seja até dez vezes mais poluído do que o ar externo.

Especialistas afirmam que nesses locais há uma forte concentração de elementos altamente poluentes, o que pode ser a causa de alergias e asma, entre outras patologias mais graves.

O engenheiro ambiental Bill Wolverton, ex-pesquisador da Nasa, e autor do livro "Plants: how they contribute to human health and well-being" ("Plantas, como elas contribuem para a saúde e o bem-estar"), com lançamento previsto para abril de 2009 nos EUA, explica que, durante as missões da base espacial Skylab, mais de 100 tipos de substâncias poluidoras foram encontradas dentro das naves espaciais.

Constatado o fato, cientistas e pesquisadores da Nasa mobilizaram-se para descobrir soluções para o controle do problema antes que as missões de longo prazo iniciassem.

A partir dessa descoberta, a U.S. Environmental Protection Agency (EPA - Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos), vistoriou prédios públicos como escritórios, hospitais e creches, e neles identificou mais de 900 poluentes transportados pelo ar.

O elemento prevalecente era o formaldeído (formol). Altamente tóxico, esse composto tido como cancerígeno é utilizado em vários materiais de construção e também em móveis, vidros, espelhos, roupas, produtos para o cabelo e até no papel higiênico. 


 O formol foi classificado como carcinogênico (causador de câncer), de acordo com a Monografia nº 88 publicada pela IARC (Agência Internacional de Pesquisa do Câncer) em 2006.

 O formaldeído vem sendo adicionado a produtos cosméticos destinados a escovas progressivas com a finalidade de alisar os cabelos.

O governo americano definiu a substância formaldeído (base do formol), usada em alguns produtos para alisamento de cabelos, esmalte para unhas, perfumes e placas de madeira, como causadora de câncer. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já classifica a substância como agente cancerígeno desde 2004. 


 Além desse gás, as pesquisas revelaram a presença de benzeno, xileno e tricloroetileno, (componentes de tintas, monitores, tapeçarias, fotocopiadoras e cigarros), bem como do clorofórmio (encontrado na água potável), amoníaco, álcool e acetona (carpetes e cosméticos), todos nocivos à saúde.

Filtros naturais

A solução foi encontrada na própria natureza. Os pesquisadores identificaram várias plantas de fácil cultivo em locais com pouca luz, cujos filtros naturais são capazes de neutralizar a poluição interna.

Muitas espécies podem ser utilizadas para esse fim, como a dracena, a samambaia e a babosa, mas as mais eficientes entre as plantas são a palmeiras areca e ráfis, de baixo custo e muito conhecidas por suas qualidades ornamentais.

Embora essas duas espécies se destaquem, o engenheiro americano esclarece que todas as plantas são capazes de remover poluentes transportados pelo ar. E isso ocorre porque "as folhas das plantas podem absorver certas substâncias químicas orgânicas, destruindo-as por meio de um processo chamado colapso metabólico, o que foi provado por um grupo de cientistas alemães que testou o formaldeído com o carbono-14, observando sua absorção e destruição metabólica dentro do clorófito (pigmentação verde)".

"O formaldeído é metabolizado e convertido em ácidos orgânicos, açúcares e ácidos de amido: quando as plantas transpiram vapor de água por meio de suas folhas, elas puxam o ar para as raízes. Isso nutre os micróbios com oxigênio, que consomem as substâncias químicas tóxicas contidas no ar, que lhes servem como fonte de alimento e energia", esclarece.

Vasos de água

Para melhorar a qualidade do ar em casas e escritórios, Wolverton sugere a utilização do maior número de plantas que um determinado espaço permita.

Ele recomenda que as plantas sejam cultivadas por meio da hidrocultura (hidroponia). "Nossos estudos revelaram que plantas cultivadas na água são mais eficientes na redução do transporte de fungos e bactérias do que as cultivadas em terra". O ideal, segundo o especialista, é ter uma planta para cada 5 m² quando cultivadas em vasos de terra.

Como as pessoas que mais se ressentem com a poluição interna são as crianças, idosos, doentes ou indivíduos com sistemas imunológicos comprometidos, Wolverton conta que países como o Japão já estão investindo em jardins ecológicos dentro dos hospitais para melhorar a qualidade do ar para pacientes e funcionários.

"Por precaução, somente plantas cultivadas por meio da hidrocultura devem ser utilizadas nos hospitais, por causa dos fungos e bactérias indesejáveis nesses ambientes".

Jardins supensos

Wolverton revela que a preocupação com a qualidade do ar nos ambientes profissionais coincide com a preocupação crescente em melhorar a qualidade do ar nos grandes centros. Por esse motivo, ele comenta, jardins nas coberturas dos prédios estão se tornando muito populares na Europa e na Ásia.

"No Japão, 20% de todos os novos prédios de Tóquio já possuem coberturas verdes. Na Índia, onde o ar é extremamente poluído, sou consultor em um projeto que prevê a construção de várias estufas nas coberturas de um grande complexo de prédios. O ar do interior desses edifícios circulará pelas estufas para ser purificado antes de retornar para os escritórios. Em essência, as plantas cultivadas na estufa funcionarão como se fossem os pulmões de cada prédio."

                      Casca de laranja x formigas e insetos
            Dispensando os Inseticidas que nos fazem tanto mal. 

O limoneno está presente  na casca da laranja e também do limão.  Bata essas cascas no liquidificador com um copo de água e borrife com um borrifador de plantas aonde esses insetos e formigas costumam ficar. Quando existia aquele inseticida de tomada eu colocava as cascas de laranja no lugar do refil. O resultado era MUITO bom.

 O formol foi classificado como carcinogênico (causador de câncer), de acordo com a Monografia nº 88 publicada pela IARC (Agência Internacional de Pesquisa do Câncer) em 2006.

 O formaldeído vem sendo adicionado a produtos cosméticos destinados a escovas progressivas com a finalidade de alisar os cabelos.

O governo americano definiu a substância formaldeído (base do formol), usada em alguns produtos para alisamento de cabelos, esmalte para unhas, perfumes e placas de madeira, como causadora de câncer. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já classifica a substância como agente cancerígeno desde 2004. 

 Além desse gás, as pesquisas revelaram a presença de benzeno, xileno e tricloroetileno, (componentes de tintas, monitores, tapeçarias, fotocopiadoras e cigarros), bem como do clorofórmio (encontrado na água potável), amoníaco, álcool e acetona (carpetes e cosméticos), todos nocivos à saúde.

Legalmente é obrigatória essa declaração abaixo:

As informações, sugestões e idéias apresentadas neste documento são apenas para informação e não devem ser interpretadas como conselhos médicos, diagnóstico de doenças, ou para efeitos de prescrição. Os leitores devem consultar seu médico antes de iniciar qualquer programa de tratamento alternativo. As informações contidas neste documento não devem ser usadas para substituir os serviços ou as instruções de um médico ou profissional de saúde qualificado.
Este produto não é destinado a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença, dor, ferimentos, deformidade ou condição física ou mental. Consulte sempre seu médico.