Atualizado em 19.07.2014

Atualizado em 19.07.2014

terça-feira, 22 de março de 2011

16 - Alzheimer - CAUSAS DO ALZHEIMER E DA DEMÊNCIA - PARKINSON CÉREBRO - Neurotransmissores - ARTERIOSCLEROSE - Síndromes - Depressão - Insônia - Medos - Fobias Problemas emocionais



Estou tentando neste blog manter um foco na Terapia pela Eletroterapia, oxigenação, alcalinidade, alimentação e a retirada da eletricidade das células e corpo - que acredito ser a base de tudo - limpeza, reequilíbrio e suplementação natural. 


VEJA A IMPORTÂNCIA DE ESTARMOS COM NOSSO PLASMA SEM TOXINAS COM O USO DO GFU

O SANGUE PASSA POR TODO O NOSSO CORPO . IMAGINE UM SANGUE COM TOXINAS, UM SANGUE SUJO E GROSSO PASSANDO PELO SEU CÉREBRO.


ABAIXO VÁRIOS ASSUNTOS

- Vitamina D dá mais agilidade mental - O nutriente está associado à áreas do cérebro envolvida com funções cognitivas.

- O Cérebro e uma Dieta Saudável
- CAUSAS DO ALZHEIMER E DA DEMÊNCIA Sugestões
- Neurônios
- Sinapse
- Neurotransmissores
- Células Nervosas
- Cientistas argentinos descobriram um mecanismo que fornece novos dados sobre o funcionamento da comunicação entre neurônios. Segundo os responsáveis pelo estudo, isso pode ajudar a compreender doenças como o mal de Alzheimer.

O cérebro usa 20% da energia do corpo ele requer constante oxigênio que recebe da corrente sanguínea, e usa aproximadamente 25% do oxigênio inalado. A fisiologia cerebral é altamente complexa e tem o poder de influenciar tudo que nós fazemos.  Vale lembrar ...somos um todo. O sangue circula por todo o nosso corpo e um sangue acidificado e sem oxigênio circula pelo cérebro. O GFU tem como uma das suas funções a alcalinização e oxigenação do sangue LUZ e PAZ Helô

CAUSAS DO ALZHEIMER E DA DEMÊNCIA
Algumas das causas mais conhecidas da doença de Alzheimer e da demência são:

- falta de oxigênio (à medida que o corpo envelhece, menos oxigênio é absorvido);
- derrame;
- drogas ilícitas;
- drogas prescritas;
- dieta acidífera e falta de substâncias que alcalinizam o corpo, o que leva ao desenvolvimento de leveduras, fungos, bolor e bactérias;aspartame, glutamato monossódico, proteína vegetal hidrolisada (HVP), cisteína;
 - ácidos graxos trans (gordura hidrogenada), encontrados em margarina, pasta de amendoim e quase todos os alimentos processados, inclusive óleo de canola;
- metais pesados, como mercúrio, chumbo (encontrado em chocolate, entre outras coisas). VEJA A IMPORTÂNCIA DE LIMPAR O SANGUE!

METAIS PESADOS: OS GRANDES VILÕES - 
causam o Alzheimer a demência, a doença de Parkinson e de outras doenças do cérebro.

Há várias décadas os metais pesados são a principal causa do Alzheimer e da demência, e da doença de Parkinson e de outras doenças do cérebro.

Entre elas: o amálgama dental - mercúrio (restaurações prateadas de dentes),  as vacinas, c
humbo, mercúrio, alumínio, flúor e outros metais pesados e toxinas.  

Quando o cérebro recebe todo o oxigênio de que precisa, a mente é clara e aguçada. Porém, quando elementos como os citados anteriormente, sobretudo os metais pesados, bloqueiam o fluxo de oxigênio no cérebro, problemas maiores surgem.



 Os metais pesados entram no corpo por diversas maneiras, mas principalmente por meio:

- do amálgama dental (mercúrio);
- de utensílios para cozinhar (alumínio, ferro);
- de alimentos que comemos e das coisas que bebemos – alimentos industrializados, enlatados, com agrotóxico (mercúrio, alumínio, etc.);
- do ar poluído que respiramos (chumbo e muitos outros).


Mercúrio

O maior culpado pela doença de Alzheimer e pela demência é o mercúrio, liberado sobretudo pelo amálgama dental (prata).

As obturações dentais de amálgama contribuem com mais mercúrio para o corpo humano do que todas as outras fontes combinadas (dieta, ar, água, vacinas, etc.). Essas obturações contêm 50% de mercúrio (mais neurotóxico do que o chumbo, o cádmio e o arsênico).

No mundo, há mais de 4.000 trabalhos de pesquisa indicando que o mercúrio é uma substância altamente tóxica.

Veja o que o Dr. Michael Ziff diz sobre tal assunto: "Você não poderia pegar um termômetro que estivesse vazando, colocá-lo na sua boca e deixá-lo lá 24 horas por dia, 365 dias por ano. Contudo, isso é exatamente o que acontece quando uma restauração de amálgama é colocada na sua boca”.

A combinação do alumínio com o flúor e as doenças neurológicas.

Pesquisas constataram que existem altíssimas concentrações de alumínio no cérebro dos doentes de Alzheimer e de outras vítimas de doenças neurológicas, inclusive aids; bem como mostraram que a doença de Alzheimer veio depois que as pessoas começaram a usar panelas de alumínio, metal que se multiplica em contato com o flúor presente na água.


O alumínio não é tecnicamente um metal pesado, mas é tão tóxico que muitas pessoas o categorizam como tal.


A primeira atitude no caso da doença de Alzheimer e da demência é retirar os metais pesados do sangue.

Para isso, nossa sugestão aqui é : Usar a Eletroterapia - GFU - para promover a eliminação dos metais pesados, química, toxinas (oxigenando o sangue e combatendo os micro-organismos e a suplementação de minerais para facilitar a homeostase e aumentar o sistema imunológico. 
 helofontoura@hotmail.com)
http://mineraisnaturais.blogspot.com/

É muito importante também trocar o amálgama dental (prata) por resina. Entretanto, como uma grande quantidade de mercúrio é liberada durante a retirada do amálgama, é preciso tomar cápsulas de carvão vegetal antes, durante e depois do procedimento.
http://mineraisnaturais.blogspot.com/

 O carvão vegetal age como uma esponja, agarrando as partículas de metais que respiramos durante o procedimento. 

No caso de pessoas muito idosas, a remoção do amálgama dental não é muito indicada. O ideal é submetê-las a limpeza do sangue pela Eletroterapia, uso do carvão vegetal e que comam muita maçã (sem casca, se não for orgânica).

Também é importante trocar todas as panelas de alumínio (veja matéria neste blog) e não consumir alimentos armazenados em latas de alumínio.

Por fim, deve-se eliminar de vez da dieta alimentos que contenham aspartame, glutamato monossódico, proteína vegetal hidrolisada e cisteína, bem como evitar açúcar e produtos lácteos.
____________________________________________

As unidades celulares fundamentais do cérebro são chamadas neurônios. Neurônios possuem receptores que captam mensagens dos neurotransmissores.




No cérebro adulto, os neurônios novos originam-se na região chamada de hipocampo, que é a estrutura responsável pelo aprendizado e memória. Os novos neurônios surgem em uma região do hipocampo chamada giro dentado.

http://idosos.com.br/estimulado-cerebro-


Esses neurotransmissores  se ligam a neurônios receptores que criam atividades cerebrais especificas. 

O processo é complexo e a boa condição da proteína e membranas celulares baseadas em lipídios no cérebro é essencial para seu sucesso.

Mudanças nas membranas celulares ocorrem de momento a momento e são afetadas por fatores tais como emoções, dieta, químicas, toxinas ... e um sistema imune deficiente. 

Olha ele aí de novo. Por que o sistema imune? 
- Porque  o sistema imunitário (também conhecido como sistema imunológico) compreende todos os mecanismos pelos quais um organismo multicelular se defende de invasores , como : bactérias, vírus, fungos, parasitas, toxinas e tantos outros. 


Mesmo as menores alterações nesta membrana celular especializada podem ter conseqüências nas habilidades dos neurotransmissores e produzir os efeitos desejados e podem causar doença. Serotonina, dopamina e norepinefrina são os neurotransmissores conhecidos mais comuns. Hoje em dia muito comum as pessoas estarem ingerindo esses elementos em forma de medicamentos....

O excesso ou a falta de  neurotransmissores pode resultar em condições tais como depressão, ansiedade, insonias, medos, síndromes ou hiperatividade e podem contribuir para doenças do cérebro tais como ou  Alzheimer ou doença de Parkinson. Lembram do sangue grosso? Da acidose? Da falta de oxigênio no sangue? Do habitat ideal para as bactérias ? Colocando de novo:Mudanças nas membranas celulares ocorrem de momento a momento e são afetadas por fatores tais como emoções, dieta, químicas, toxinas ... e um sistema imune deficiente. 

Uma dieta saudável que atende as necessidades especificas do cérebro pode ajudar neurônios alcançar um equilíbrio químico satisfatório.

CÉLULAS oxigenadas e um sangue limpo são importantes para absorver nutrientes apropriadamente e liberá-los ao cérebro.

O sangue leva nutrientes essenciais e oxigênio para o cérebro. Sem o fornecimento de sangue, as células cerebrais podem ficar danificadas E impossibilitadas de cumprir a sua função.


Ontem pesquisando sobre os novos estudos que colocam sobre as bactérias do trato intestinal e as doenças - 09.02.2013 - Colocando no tópico Depressão.



Melhorando a Função Cerebral

 
Chuck Homuth


A medida que envelhecemos muitos de nós percebemos uma perda de capacidade mental e achamos que isso é devido em parte a estar ficando velhos, mas o envelhecimento não pode explicar a atual epidemia de severa deterioração mental. 

O fato é que o cérebro humano é altamente suscetível em viver em uma sociedade moderna desenvolvida. Um estilo de vida deficiente, bem como dieta, stress, fumaça e poluentes ambientais, tudo isso danifica as células frágeis do cérebro. 

O consumo de álcool e muitos medicamentos podem causar severa perda de memória. Cada vez mais crianças estão mostrando dificuldades comportamentais e de aprendizagem relacionadas à exposições por poluentes e tais dificuldades persistem na vida adulta.

Pessoas que abusam do seus corpos através de uma  dieta e de estilo de vida inadequados podem experimentar uma deterioração mental já na década dos trinta, e por muitos outros problemas, se tornam realmente notáveis durante a década dos quarenta. 

Essas pessoas que fazem coisas erradas em determinados períodos da vida, estão em risco aumentado de severa deterioração cognitiva no futuro, a  menos que elas assumam o compromisso de reconstruir a função cerebral. VEJA MAIS UMA VEZ A IMPORTÂNCIA DO USO DO GFU






Sinapses

A atividade elétrica de um neurônio, distribuída por seu axônio, pode se espalhar diretamente a neurônios vizinhos que tenham contato físico (e portanto elétrico) com aquele neurônio.

Isso acontece com bastante frequência no sistema nervoso durante a gestação. No entanto, a maioria dos neurônios no sistema nervoso da criança ou adulto não têm continuidade elétrica entre si: ao contrário, eles são separados por fendas, o que impede a passagem de eletricidade diretamente de um para o outro (como dizia meu professor de química, elétrons não nadam!).GOSTEI DESSA COLOCAÇÃO. MUITO BOM ESSE BLOG.

O que permite que a atividade elétrica de um neurônio influencie a atividade elétrica do neurônio seguinte é a transmissão sináptica, o processo de transformação de um sinal elétrico em um sinal químico, e deste sinal químico de volta em um sinal elétrico - agora, no neurônio do outro lado da sinapse. A sinapse, portanto, é esse local onde a atividade de um neurônio é capaz de influenciar a atividade do outro neurônio.

No neurônio pré-sináptico (ou seja, o que transmite sinal), a chegada de um potencial de ação (o sinal elétrico) à extremidade do axônio provoca uma alteração em proteínas sensíveis à voltagem da membrana celular.





Isso leva à entrada de cálcio no terminal pré-sináptico, o que por sua vez faz com que vesículas contendo substâncias químicas se fusionem com a membrana da célula, liberando seu conteúdo do lado de fora do terminal - ou seja, na fenda sináptica.

Essas substâncias liberadas são os neurotransmissores, Colocando abaixo uma matéria que fala sobre os neurotransmissores. ou neuromoduladores, dependendo de sua ação sobre a célula pós-sináptica.
 A célula pós-sináptica (a que recebe sinais) possui receptores em sua membrana: proteínas que detectam a presença de neurotransmissores ou neuromoduladores e mudam sua forma como resultado, disparando assim mudanças químicas e/ou elétricas no neurônio pós-sináptico.

No caso ilustrado, a ligação do neurotransmissor ao receptor faz com que este se abra, formando um canal na membrana do neurônio pós-sináptico.



A abertura de vários canais ao mesmo tempo provoca uma modificação na voltagem do neurônio pós-sináptico que é propagada até o corpo da célula, onde fica o núcleo.

 Se um número suficiente de sinapses - de um só neurônio pré-sináptico, ou, mais comumente, de vários neurônios pré-sinápticos ao mesmo tempo - forem acionados e produzirem uma mudança grande o suficiente na voltagem da célula pós-sináptica, esta pode chegar a disparar potenciais de ação e, assim, passar o sinal adiante para outros neurônios.




Ao mesmo tempo que a transmissão sináptica segue adiante do neurônio pós-sináptico, o neurônio pré-sináptico reconstrói suas vesículas sinápticas e as enche de novo, com neurotransmissor novo e também com as moléculas recolhidas (recaptadas) do espaço sináptico.

Disso é feito o funcionamento do cérebro: da transmissão constante de sinais elétricos e químicos de um lado para outro. O que você faz, pensa ou sente a cada instante depende de quais neurônios estão mais ou menos ativos a cada instante. 
http://www.cerebronosso.bio.br/sinapses/



Neurotransmissores 

NEURO TRANSMISSORES-São substâncias químicas produzidas pelos neurônios, que possibilitam que os impulsos nervosos de uma célula influenciem os impulsos nervosos de outra, permitindo assim que as células do cérebro "conversem entre si", por assim dizer, enviando informações a outras células (de nervo ou músculo).

O corpo humano desenvolveu um grande número desses mensageiros químicos para facilitar a comunicação interna e a transmissão de sinais dentro do cérebro. 

Quando tudo funciona adequadamente, as comunicações internas acontecem sem que sequer tomemos consciência delas.


Os neurotransmissores podem atuar no encéfalo, na medula espinhal e nos nervos periféricos.


 Quimicamente, os neurotransmissores são moléculas relativamente pequenas e simples. Diferentes tipos de células secretam diferentes neurotransmissores.  


Cada substância química cerebral funciona em áreas bastante espalhadas mas muito específicas do cérebro e podem ter efeitos diferentes dependendo do local de ativação.


O processo químico de interação entre os neurônios e entre os neurônios e células efetoras acontecem na terminação do neurônio, em uma estrutura chamada sinapse.


Os neurotransmissores são produzidos na célula transmissora e são acumulados em vesículas, as vesículas sinápticas. Isso pode ocorrer por ação direta de uma substância química, como um hormônio, sobre receptores celulares pré-sinápticos.


Quando um potencial de ação ocorre, as vesículas se fundem com a membrana plasmática, liberando os neurotransmissores na fenda sináptica.


Estes neurotransmissores agem sobre a célula receptora, através de proteínas que se situam na membrana plasmática desta, os receptores celulares pós-sinápticos. 


Os receptores ativados geram modificações no interior da célula receptora. Estas modificações é que originarão a resposta final desta célula. TODA ESSA PERFEIÇÃO PRECISA SER DIVULGADA!!!!

Mais informação e menos medicamentos!

Proteínas especiais da célula transmissora retiram o neurotransmissor da fenda sináptica, através de bombas de recaptação. Algumas enzimas, inativam quimicamente os neurotransmissores, interrompendo a sua ação.


Cerca de 60 neurotransmissores foram identificados e podem ser classificados, em geral em uma das quatro categorias.

Colinas, das quais a acetilcolina é a mais importante;


Aminas biogênicas, a serotonina, a histamina, e as catecolaminas - a dopamina e a norepinefrina;


Aminoácidos, o glutamato e o aspartato são os transmissores excitatórios bem conhecidos, enquanto que o ácido gama-aminobutírico (GABA), a glicina e a taurina são neurotransmissores inibidores.


Neuropeptídeos, esses são formados por cadeias mais longas de aminoácidos (como uma pequena molécula de proteína). Muitos deles têm sido implicados na modulação ou na transmissão de informação neural.

Os neurotransmissores são muito importantes em várias áreas. Podemos citá-los relacionados a dores, depressão e doenças como  o Alzheimer.


Varias drogas têm seus princípios ativos baseados em ações de neurotransmissores, tanto drogas lícitas, remédios, como drogas ilícitas.


Nosso objetivo com este blog é poder abordar de forma objetiva as correlações com neurotransmissores, sua importância para a homeostase corpórea, suas implicações comerciais e as novidades que trarão benefícios em diversas áreas, como tratamento de doenças. 


 http://neuromed88.blogspot.com.br/
As células nervosas são amplamente compostas de lipídios e por isso os tipos corretos de gordura na dieta são um dos elementos críticos mais importantes na criação e manutenção da saúde cerebral.

O Omega 3, um precioso ácido lipídio que promove a saúde cardíaca, pode ajudar nosso cérebro. Os recursos primários dessas gorduras promotoras de saúde são peixes de água doce incluindo salmão, anchovas, sardinhas e outros peixes. É recomendável comer peixe no mínimo três vezes por semana.

Óleo de oliva e óleo de semente de linho, são bons recursos de plantas de ácidos graxos omega 3.

O DHA, um dos ácido graxos Omega 3, é primariamente um ácido graxo estrutural na matéria cinzenta do cérebro que promove comunicação entre as células nervosas por permitir sinapses para mantê-las leves e funcionais. Por ajudar a construir as bainhas de mielina ao redor das fibras nervosas, o DHA facilita a neurotransmissão química.Ele ajuda o cérebro a monitorar o humor bem como a memória.

Como um componente do leite humano, o DHA promove inteligência aumentada nas crianças.

As vitaminas do complexo B trabalham em conjunto para promover o sistema imune e o cérebro saudável por proteger tecidos nervosos contra a oxidação, aumento da memória e por isolar as células nervosas. O seu corpo requer vitamina B para produzir muitos neurotransmissores. Além de carne existem muitos recursos de origem de vegetais de vitamina B incluindo pasta de grãos, arroz, germe de trigo feijão e castanha.

Em razão do cérebro ser feito amplamente de ácido graxos, ele é suscetível a danos por oxidação (causado pelos radicais livres, moléculas altamente reativas que atacam e danificam as membranas celulares, proteínas e mesmo o código genético, e assim trazendo também envelhecimento e doenças.) De novo estamos com a oxidação - falta de oxigênio e a importância de mantermos nosso sangue limpo.








Antioxidantes são nutrientes que combatem e neutralizam os radicais livres. As armas primarias desta luta são as vitaminas C e E, carotenoide e o selênio mineral.

Muitos alimentos são fontes ricas de antioxidantes.

 Os carotenoides são encontrados na laranja e vegetais folhosos tais como cenoura, batata doce, couve e espinafre.

 A vitamina C é encontrada nas frutas cítricas e vegetais como brócolis e pimenta. 

A vitamina E é encontrada em sementes e castanhas, bem como o feijão e óleos vegetais, o selênio está  presente em frutos do mar grãos e castanhas do Pará. (não esquecendo de retirar os fungos, ok?)


09.02.2013 - Cientistas argentinos descobriram um mecanismo que fornece novos dados sobre o funcionamento da comunicação entre neurônios. Segundo os responsáveis pelo estudo, isso pode ajudar a compreender doenças como o mal de Alzheimer.

Trata-se de um mecanismo fundamental para a formação, o fortalecimento e o funcionamento das sinapses, os pontos de comunicação entre os neurônios, explicou a Agência de Ciência e Técnica do Instituto Leloir, onde a pesquisa foi desenvolvida.


A equipe identificou neste processo de comunicação pacotes de RNA mensageiro (responsável pela transferência de informação do DNA) temporariamente inativos, denominados "focos de silenciamento de mensageiros", explicou Graciela Boccaccio, chefe do Laboratório de Biologia Celular do Instituto Leloir.


Com a formação desses pacotes, o RNA mensageiro não pode cumprir sua função, que permite consolidar a comunicação entre neurônios para memória e aprendizagem.

Os cientistas também identificaram neste processo a proteína Smaug 1, que, quando bloqueada, produz um defeito sináptico grave e os neurônios não se desenvolvem completamente, de acordo com o estudo.

"Esses defeitos são muito similares aos observados em várias doenças neurodegenerativas", disse Boccaccio.


Para a pesquisadora, o estudo dá uma luz sobre como funciona a sinapse e pode ajudar a criar novos caminhos para entender doenças como o mal de Alzheimer e a esclerose.

Durante o trabalho, publicado na revista "The Journal of Cell Biology", os cientistas analisaram, em roedores, neurônios do hipocampo, região do cérebro associada aos aspectos cognitivos.



Proteja seu cérebro
Consumir suco de beterraba diariamente pode aumentar o fluxo de sangue no cérebro em pessoas na terceira idade, e assim proteger os indivíduos de desenvolver casos sérios de demência, diz um estudo feito pela Wake Forest University, nos Estados Unidos. Os autores da pesquisa dizem que esse pode ser um ótimo método para combater esta doença que atinge aproximadamente 35 milhões de pessoas no mundo.

No estudo, publicado no jornal especializado Oxide: Biology and Chemistry, os cientistas acrescentaram durante quatro dias, suco de beterraba, que é rico em nitratos, na dieta de 140 pessoas com mais de 70 anos e que sofriam com demência. Durante a pesquisa, os participantes recebiam refeições ricas em nitratos, que incluía um copo de aproximadamente meio litro de suco do vegetal. Depois de cada uma das refeições, os idosos passavam por exames de sangue e uma série de outros testes para medir o funcionamento do sistema circulatório.
Os autores da pesquisa descobriram que depois de ingerir uma dieta rica em nitratos, as pessoas na terceira idade tinham uma maior circulação de sangue no cérebro, o que facilita o transporte de oxigênio para os lóbulos frontais. Essa área está associada com a degeneração que leva a demência e a outros problemas cognitivos, e sua melhor oxigenação pode prevenir essas complicações e diminuir o ritmo de sua evolução. Damos voltas e as pesquisas são várias, e sempre chegamos na oxigenação.

Consumir altas concentrações de nitratos, contidos na beterraba, assim como no aipo, repolho, espinafre e alface, ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e a aumentar o fluxo de sangue nos lugares que precisam de oxigênio. Veja bem - alimentos "sem" agrotóxicos. Senão vira suco de agrotóxicos...ajuda numa coisa e atrapalha em outras, Como por exemplo: sobrecarregando o fígado. A beterraba se destaca porque além dilatar as artérias também combate a pressão alta e diminui o risco de derrames, complicações mais comuns na terceira idade.  

Além dos nitratos contidos na beterraba, existe uma série de nutrientes que ajudam a proteger o cérebro. Segundo um estudo feito pelo Instituto Salk, na Califórnia (EUA), a fisetina que se encontra no morango, pêssego, uva, kiwi, tomate, maçã e também na cebola e espinafre é uma substância fundamental para manter a memória jovem, porque estimula a formação de novas conexões entre os neurônios. Alguns nutrientes, como a fisetina e os nitratos, são importantes para a manutenção da saúde do cérebro, como: 
-Zinco, Selênio, Ferro e Fósforo: sais minerais que participam de inúmeras trocas elétricas e mantêm o cérebro acordado e ativo (elétrico). Presente em todas as sementes e grãos, em raízes e nas folhas verde escuro, iogurtes. Vale conhecer os suplementos de sais minerais naturais.
http://mineraisnaturais.blogspot.com.br/
-Vitamina E: poderosa ação antioxidante. Presente em todas as sementes e grãos, como também em óleos vegetais prensados a frio.
-Vitamina C: famosa ação antioxidante. Presente nas sementes frescas e cruas que foram pré-geminadas, assim como na maioria das frutas.
-Vitaminas do complexo B: regulam a transmissão de informações (as sinapses) entre os neurônios, presente nas sementes e nas fibras dos alimentos integrais e proteínas. 
- Bioflavonoides: são polifenóis com forte ação antioxidante. Além das sementes, são encontrados também no limão, frutas cítricas, uva e nas folhas verde escuro.
-Colina: participa da construção da membrana de novas células cerebrais e na reparação daquelas já lesadas. Presente na gema do ovo e em todas as sementes e grãos (predominância na soja), como também em óleos vegetais prensados a frio.
-Ômega-3: funciona como um anti-inflamatório poderoso, evitando a morte dos neurônios. Existem somente três fontes: os peixes de águas frias e profundas e as sementes de linhaça e prímula.
-Carboidratos: a glicose é a energia exclusiva do cérebro. Por isso, ficar muito tempo sem comer carboidratos diminui a atividade mental. Carboidratos complexos (pão, batata, grãos) são absorvidos mais lentamente, fornecendo energia de forma regular. Já o açúcar dos doces é absorvido tão rapidamente que é armazenado como gordura, sem fornecer energia de modo constante.  
http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/12280-Beber-suco-de-beterraba-ajuda-a-proteger-o-cerebro.htm

Pesquisadores do Agricultural Research Service (ARS) dos Estados Unidos encontraram ligação entre a vitamina D e a função cognitiva. O estudo, que foi apoiado pelo National Institutes of Health e liderado pelo epidemiologista Katherine Tucker, envolveu mais de 1.000 idosos que recebiam cuidado médicos em casa. Os pesquisadores avaliaram a associação entre níveis de vitamina D no sangue e testes neuropsicológicos. Idosos que recebem cuidados em casa têm um maior risco de não absorver vitamina D suficiente devido à exposição solar limitada e outros fatores.

A luz solar é importante para sintetizar a vitamina. A função cognitiva é medida pelo nível em que o cérebro é capaz de gerenciar e utilizar informações disponíveis para as atividades da vida diária. 

A doença de Alzheimer, a forma mais comum de demência relacionada à idade, afeta cerca de 47% adultos com 85 anos ou mais nos Estados Unidos. Por isso é fundamental Identificar os fatores nutricionais que diminuem a disfunção cognitiva e ajudar a preservar a vida independente, pois isso proporciona benefícios econômicos e de saúde pública, de acordo com os autores.

A absorção metabólica da vitamina D foi encontrada no hipocampo e no cerebelo - áreas do cérebro envolvidas nas funções de planejamento, processamento e formação de novas memórias. Isso sugere que a vitamina D pode estar envolvida nos processos cognitivos.  

Os participantes, com idades de 65 a 99 anos, foram agrupados pela quantidade de vitamina D, que foi classificada como deficiente, insuficiente ou suficiente. Apenas 35% tinham níveis suficientes de vitamina D no sangue. Eles tiveram um melhor desempenho nos testes cognitivos em comparação com os das categorias deficiente e insuficiente, em particular as medidas de "desempenho executivo", como a flexibilidade cognitiva, a complexidade da percepção e raciocínio.

As associações persistiram após tomar em consideração outras variáveis que podem afetar o desempenho cognitivo. Outro estudo, feito por pesquisadores americanos, relacionou o Mal de Parkinson com a deficiência de vitamina D. A pesquisa publicada na revista especializada Archives of Neurology, porém, não concluiu se os baixos níveis da vitamina são a causa ou a consequência da doença.

Os estudiosos da Universidade Emory examinaram os níveis de vitamina D em 100 pessoas com Parkinson, 100 com Mal de Alzheimer e 100 idosos saudáveis. Os resultados apontaram que 55% dos pacientes com Parkinson apresentavam níveis insuficientes da vitamina, em comparação com 41% dos indivíduos que sofrem de Alzheimer e 36% dos idosos saudáveis. "A vitamina D pode ser encontrada no leite, no salmão, sardinha, óleo de fígado de peixe, cogumelo, ovos e alguns cereais que são fortificados com essa vitamina", explica a nutricionista Cristiane Mara Cedro.


Um estudo realizado pelo Salk Institute for Biological Studies, na Califórnia, constatou que a fisetina, flavonoide presente nas frutas vermelhas, em especial no morango, estimula área do cérebro responsável pela memória de longo prazo e o protege de doenças degenerativas como o Mal de Alzheimer e a esclerose múltipla.

Segundo os pesquisadores, a fisetina induz a maturação das células neurais, evitando que elas morram e auxiliando a fixação de novas conexões entre elas. Com isso, a atividade cerebral não é afetada pela morte natural de células nervosas e a memória é estimulada com maior eficiência.





Permanecendo Saudável
 Queremos um cérebro que seja saudável quando  estivermos mais velhos, mas nós queremos também um cérebro que funcione em alta velocidade e eficientemente hoje.
 
O café da manhã é a mais importante refeição do dia. Comece o dia com uma refeição que é baixa em gordura, alta em proteína e baixa em carboidratos e açúcar. Isso ajudará você a alcançar a performance do pico mental durante o dia. Primeiro coma proteína, e então complexos carboidratos, em sua refeição. Essa é uma sugestão desse artigo. Eu pessoalmente aprendi que não se deve misturar em uma mesma refeição proteínas e carboidratos...

O ideal é ter o aminoácidos L-Tirosina encontrados em alimentos ricos em proteínas que alcançam primeiro o cérebro, seguido pelo L- triptofano e aminoácidos cujos efeitos relaxantes são fortalecidos pelos carboidratos.
 
A cafeína pode melhorar o alerta mental, mas limite seu uso  ela pode deixar você com sintomas de estresse, ansiedade e irritabilidade, e pode ser danosa para a saúde em geral. O álcool diminui a função cerebral e deve ser evitado. 
 
Um estilo de vida que inclui amplo tempo de relaxamento, meditação, exercício apropriado e bom sono, tudo isso ajuda a regenerar e revigorar nosso estado mental, em suma a forma que nós comemos pode não somente nos ajudar a sermos mais inteligentes, alertas e com sucesso em nossas atividades mentais, mas também mais equilibrados em nossas emoções e comportamento.
 
A forma para construir um fundamento para um cérebro saudável é com uma dieta saudável e uma suplementação.
Consulte seu médico. Estou repassando informações, mas não experimentei.
 
Fosfatidilserina - uma substância fosfolipidica que é um grande construtor das membranas cerebrais prove energia e atividade elétrica  através de todo o cérebro.
Fosfatidilcolina - encontrada nos produtos da soja e lefitina. Converte prontamente para acetilcolina, o neurotransmissor da memória no cérebro.
L-Glutamina - usada como fonte de energia pelo cérebro e é convertida em ácido glutâmico. Essencial para a função do cérebro e GABA, um importante neurotransmissor.
Acetil L-Camitina - essencial para converter ácidos graxos em energia metabólica, capaz de atravessar prontamente a barreira hematoencefalica onde ela promove a síntese de acetilcolina.
Hiperzina A (club moss) - funciona como um inibidor da colinesterase que previne a quebra da acetilcolina.
Vinpocetina (periwinkle) - aumenta o metabolismo do cérebro por aumentar o fluxo sanguíneo aumenta a taxa na qual as células nervosas produzem ATP (energia) e aumenta a velocidade do uso da glicose e oxigênio no cérebro.
Co Q10 - exibe um papel critico na produção de energia em cada célula do corpo. Aumenta a oxigenação dos  tecidos
Ginko biloba - erva que aumenta o fluxo sanguíneo e oxigênio ao cérebro
Gotu cola - erva que energiza o cérebro e aumenta o estado de alerta (grande repositor para os que bebem muito café).
O autor
Chuck Homuth
http://www.cerebromente.org.br/

A Viagem ao Cérebro explica o funcionamento do cérebro e como a doença de Alzheimer o afeta.
Como fazer a viagem: Há 16 slides interativos. Muito bem explicado

Para destacar os recursos especiais de cada imagem, passe o mouse por cima delas.
Em seguida, clique na seta para avançar ao próximo slide.
http://www.alz.org/brain_portuguese/

 
Vamos exercitar o cérebro?
http://www.chezmaya.com/jeux/game33.htm

Legalmente é obrigatória essa declaração abaixo:

As informações, sugestões e idéias apresentadas neste documento são apenas para informação e não devem ser interpretadas como conselhos médicos, diagnóstico de doenças, ou para efeitos de prescrição. Os leitores devem consultar seu médico antes de iniciar qualquer programa de tratamento alternativo. As informações contidas neste documento não devem ser usadas para substituir os serviços ou as instruções de um médico ou profissional de saúde qualificado.
Este produto não é destinado a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença, dor, ferimentos, deformidade ou condição física ou mental. Consulte sempre seu médico.



TERAPIAS

Os aparelhos emissores de Frequência Única - GFU se associam com toda e qualquer terapia. 

Algumas terapias não não fazem a limpeza do sangue mas aceleram o equilíbrio das energias estagnadas como por exemplo a acupuntura, a Homeopatia, massagens, Reiki, entre tantas outras.

 A Eletroterapia pode ser usado juntamente com os remédios dos tratamentos convencionais, quando esses são necessários.


Hildegard B. Richter *Parte de um artigo muito bom da TAPS. Esse texto tem mais de 20 anos !!!!



 Felizmente, muitas pessoas já reconhecem que a saúde não depende de médicos e hospitais, mas depende, sim, do meio ambiente e do estilo de vida, em sentido bem amplo. 



Existe ainda a supervalorização da medicina moderna: tanto os profissionais da saúde quanto a população estão tão fascinados com a assistência e os medicamen­tos oferecidos pela indústria da doença que consideram as atividades simples - realizadas na comunidade - um recurso de baixa quali­dade e provisório ...


 Em países ricos como a Suíça, a Austria, os EUA estão se formando agentes de saúde para orientar a população na preservação da saúde, justamente para escapar dessa  assistência .

Ouvimos dizer que "o Brasil é um grande hos­pital", mas poucos sabem que a Alemanha é outro grande hospital, com doenças degenerativas gravíssimas provocadas por má alimentação, pelo meio ambiente tóxico, pelo estresse. As doenças da civilização estão atingindo faixas etárias cada vez mais jovens enquanto os mais velhos estão lutando pelo direito de morrer com dignidade, sem toda a tecnologia utilizada para prolongar a doença. Vale refletir sobre. Veja bem esse texto é de 1990




Nós temos em nosso imenso país a possibilidade de evitar a evolução que ocorre nos países ricos: a industrialização dos alimentos, a poluição do meio ambiente e o estresse. Temos a sorte de viver num pais imenso com muita terra, muitas florestas, mar, rios imensos e estamos seguindo o mesmo caminho da "aparente evolução" dos paises industrializados.


 
Visão acadêmica da medicina

Na realidade, os defensores de todos os ramos da medicina deveriam trabalhar em conjunto em benefício da saúde.
Todos os ramos da medicina deveriam atuar integrados

A medicina alopática, indispensável para os casos agudos e emergências com risco de vida, procura aliviar os sintomas e, em casos graves, ajuda o organismo em sua luta pela sobrevivência. Os efeitos são rápidos, mas muitas vezes acompa­nhados de complicações e efeitos colaterais.

Os diversos ramos da medicina biológica pro­curam combater a própria doença, fortalecendo o organismo da pessoa e sua força vital. É o caso da Eletroterapia onde "um dos objetivos" é reequilibrar o sistema imunológico e sua energia vital.
 
Como exemplo, temos o combate à AIDS. Enquanto a medicina alopática está tentando desesperadamente atingir o vírus e tratar as infecções oportunistas, os outros sistemas terapêuticos procuram fortalecer as defesas do próprio organismo e o espírito da pessoa assim diagnosticada. 


Enquanto a medicina alopática considera a doença incurável diversas terapias alternativas têm tido sucesso comprovado, divulgando em revistas de renome científico. Uma pena que ainda, depois de 20 anos, pouco divulgadas

A razão de existir tanta desinformação  é porque a saúde (melhor dizendo, a doença) se tornou um negócio arquimilionário. 

 Sob forte influência das indústrias farmacêutica e alimentícia - e com enorme esforço publicitário de todos os lados - está crescendo, dia-a-dia, a corrupção na medicina. 

Pesqui­sas são manipuladas e médicos são pressionados a adotar tratamentos que não funcionam.

Com tantas notícias desencontradas e tanta informação contraditória, o leigo fica inseguro e acaba aceitando aquilo que lhe colocam pela frente. Essa manipulação da população não se restringe a uma população com pouca escolaridade. Infelizmente...as pessoas ainda acham mais fácil tomar medicamentos (muitas vezes sem consultar um médico) do que ouvirem o seu corpo. Não é normal ter dor de cabeça.

As pressões são violentas. Aqueles que publicam dados honestos que não interessam às indústrias da doença são perseguidos como o autor dos "Versos satânicos". Em todas as línguas existem livros famosos denunciando esta manipulação. Devido às ameaças contra os tradutores, dificilmente são traduzidos de uma língua para outra.



Cada um de nós, rico ou pobre, precisa acordar para a realidade e tomar consciência de que saúde não significa ter acesso à medicina sofisticada, mas escapar da medicalização generalizada. Sig­nifica assumir a responsabilidade pela preservação da vida, inclusive da natureza e planeta.

(*) Hildegard B. Richter (1925-2007), diretora-presidente da TAPS (Associação Brasileira de Tecnologia Alternativa na Promoção da Saúde) e membro da Comissão Médica Cristã do Conselho Mundial de Igrejas, especializou-se em alimentação e educação para a saúde na GGB, Gesellschaft fuer Gesundheitsberatung, em Lahnstein, Alemanha. Seu legado continua com a Martha Orttinger e o site: www.taps.org.br

Li uma frase que dizia: Em qualquer terapia não deixe jamais de consultar o médico. O que provavelmente vai acontecer é ele, aos poucos, ir diminuindo seus medicamentos. Muito legal essa colocação e é real! Vejo isso diariamente com os usuários do GFU.


A Medicina que trata o indivíduo como um TODO, é conhecida por vários nomes. Medicina Holística, Natural, Complementar, Alternativa, Integrativa, entre outros. 

Trata o Ser como individuo único e com natureza física, mental, emocional e espiritual. No blog saudável e feliz fala mais sobre.

Abaixo um pouco sobre algumas terapias que combinam MUITO com o uso do GFU. 

Nos tratamentos indico o uso dos produtos do Prof Antunes. Totalmente naturais. Para suplementar e recolocar os sais minerais. 
Para tratar a Cândida Sistêmica, Candidíase vaginal, peniana entre outras. Para micoses e todas as doenças de pele, para manchas, feridas de difícil cicatrização entre outras. Querendo saber mais sobre : helofontouta@hotmail.com

 
ACUPUNTURA e AURICOLOTERAPIA o terapeuta insere agulhas finas em pontos específicos do corpo. Essa prática estimula e equilibra.
                                                    Pontos de acupuntura (Dinastia Ming)
                                                       Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
História da Auriculoterapia
A auriculoterapia têm, desde tempos remotos, relatos de seu uso em vários casos. Hipócrates, considerado o pai da medicina, em seu livro “Geração” relata curas de impotência sexual com pequenas sangrias na orelha.
Ao longo dos séculos, encontram-se documentos que relatam de tratamentos semelhantes para diversas doenças.
 
Em 1637, o médico português Zacutus Lusitanus descreve a utilidade de cauterizações auriculares no tratamento da nevralgia ciática. 
Valsalva, em 1717, descreve precisamente a região do pavilhão auricular que estava queimando quando o paciente sofria de fortes dores de dente, esta descrição está em seu livro “De Aura Humana Tratadus”.
De 1850 a 1857 surgem muitas publicações sobre a eficácia desse método no tratamento da nevralgia ciática.
 
“A favor dessa prática produz-se um verdadeiro entusiasmo, na verdade bastante efêmero, já que não se podia dar-lhe nenhuma base científica” (PAUL NOGIER, 1998).
 
Em meados de 1950 médicos franceses da região de Lyon começaram a receber pacientes com cauterizações no pavilhão auricular. Os pacientes diziam-se aliviados de nevralgia ciática graças à cauterização.
 
Um desses médicos era Paul Nogier, intrigado, começou a fazer em casos análogos, a mesma cauterização que parecia tão eficaz. Seus resultados foram surpreendentes tamanha a sedação, que era quase imediata. 


O Dr. Nogier questionou-se se o pavilhão auricular poderia estar relacionado com outras partes do organismo, mas seus resultados foram infrutosos por muito tempo. 

Estudando as nevralgias ciáticas, Nogier constatou que um bloqueio da quinta vértebra lombar é causadora freqüente dessa patologia. Então ele supôs que a quinta vértebra lombar correspondia ao local da cauterização no pavilhão. Posteriormente, concluiu que o restante da coluna ficava na continuação da anti-hélice.

Paul Nogier provou seu método partindo da coluna vertebral tratando dores em diversos locais do corpo através do estímulo de pontos distintos da orelha, provando que a eficácia do método se confirmava de modo geral.
Ele nomeou esse método de Auriculoterapia.
 
A técnica desenvolvida por Paul Nogier
Segundo esta terapia, existe a relação (reflexo) entre regiões determinadas da orelha e órgãos, funções ou regiões do corpo. No caso de um problema em um órgão, como por exemplo o pulmão, uma região específica da orelha (pavilhão auricular) será afetada. Assim, um estímulo nesta região auricular também refletirá no órgão, neste caso, os pulmões.
 
Foram encontradas referências a auriculoterapia em pinturas egípcias e em textos gregos, mas foi por volta de 1950, que francês Paul Nogier iniciou suas pesquisas nesta área.
 
Esta técnica se associa à reflexoterapia, a técnica desenvolvida por Nogier não deve ser confundida com o tratamento de acupuntura focada na orelha, que também costuma ser traduzida como auriculoterapia em português.
Na auriculoterapia desenvolvida a partir das pesquisas de Nogier o estímulo é feito através de laser ou eletricidade. Não são utilizadas agulhas ou pontos fixos de estímulo.

A Auriculopuntura se baseia em princípios distintos da reflexoterapia (apesar de muitas semelhanças), associados ao conhecimento dos meridianos trabalhados pela medicina tradicional chinesa.
 
Na acupuntura as diversas regiões ou pontos podem ser estimuladas de diversas maneiras, como através de agulhas colocadas por 20 a 30 minutos, ou pequenas agulhas semi-permanentes que podem permanecer por até 5 dias.
 
São utilizadas também sementes de diversas plantas para massagem dos pontos, sendo a mais utilizada a de mostarda.
 
Mapa Auricular
O mapa auricular é um desenho ou foto na qual localizam-se as áreas reflexas do corpo inteiro. Existem diversos tipos de mapas com poucas divergências, mas o padrão é sempre o mesmo.




REFLEXOLOGIA: com a pressão e o deslizamento dos dedos, estimulam-se pontos das mãos e dos pés que correspondem a diversos órgãos internos.

SHIATSU: a massagem no corpo todo, pressionando-se pontos específicos com as palmas das mãos e as pontas dos dedos, trabalha os meridianos, promovendo o relaxamento e liberando energia.

MASSAGEM AYURVÉDICA: pode ser feita a quatro mãos, com óleo quente e ervas. Essa massagem indiana libera toxinas e promove um profundo relaxamento.

REIKI: o terapeuta, por meio das mãos, transfere energia para o paciente, mentalizando símbolos antigos e secretos. Promove o bem-estar e renova as energias.

WATSU: as sessões são feitas em piscina aquecida; o terapeuta sustenta o paciente nos braços e faz pressão em pontos específicos do corpo dele. Produz um efeito que ultrapassa o limite do físico, atuando no emocional.


TEXTO EXTRAÍDO DO LIVRO: ENERGIZE-SE Alternativa para melhorar sua qualidade de vida sem radicalismo Virgínia Nowichi (Editora Gente)



Medicina tradicional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Medicina tradicional refere-se às práticas de medicina desenvolvidas antes do que se classifica como medicina moderna e que ainda hoje são praticadas por diversas culturas em todo o mundo.
                                        Manual árabe de fitoterapia, cerca de 1334

Segundo a OPAS-OMS, a medicina tradicional é o total de conhecimento técnico e procedimentos baseado nas teorias, crenças e as experiências indígenas de diferentes culturas, sejam ou não explicáveis pela ciência, usados para a manutenção da saúde, como também para a prevenção, diagnose e tratamento de doenças físicas e mentais.

Em alguns países utilizam-se indistintamente os termos medicina complementar, medicina alternativa ou medicina não-convencional, e medicina tradicional. (OMS, 2000)

“Medicina tradicional" é um termo amplamente utilizado para referir-se aos diversos sistemas de Medicina Tradicional, como por exemplo a medicina tradicional chinesa, a ayurvédica hindu, a medicina unani árabe e as diversas formas de medicina indígena.

Abrange terapias com medicação à base de ervas, partes de animais ou minerais, e terapias sem medicação, como a acupuntura, as terapias manuais e as terapias espirituais.

Nos países onde o sistema de saúde hegemônico se baseia na medicina alopática ou onde a Medicina Tradicional ainda não se incorporou no sistema nacional de saúde, não se distingue dos demais aspectos dos sistemas tradicionais, seja por sua transmissão oral de lendas – onde são atualizados valores espirituais, ético/morais, e acontecimentos históricos significativos, seja por se caracterizar como conhecimento empírico/prático resultante de hábitos consagrados pela experiência, a não ser quando se associa a práticas médicas profissionais reconhecidas, hegemônicas ou não hegemônicas, consideradas como plausíveis pela medicina moderna ou científica. (OMS, 2002)


"A medicina holística é em parte uma resposta à crescente despersonalização da medicina moderna. Essa ciência, atualmente, tende a enfatizar os órgãos com funcionamento deficiente e tratar o corpo como uma máquina bioquímica que às vezes precisa de reparos. Por outro lado a medicina holística tende a ver o paciente como uma pessoa completa e tenta responder, não apenas à doença.  
Mas a saúde da pessoa é  a sua vida total, incluindo o ambiente". Dr. Steven Halpern Ph.D / Dr. Louis Savary - Ph.D.


ARGILA


Uma aluna de Santa Rita do Sapucaí-MG, que conhece muito bem a natureza, pois sempre morou no campo, disse-me, durante um curso: “As pessoas dizem que sou louca, mas lá em casa a terra cresce. Lembro-me de um morro que era pequeno e depois ficou mais alto.”



A terra é gaia, isto é, tem vida, ela se move, cresce… Em sua composição, há uma semelhança muito grande com o corpo humano: ela contém ferro, magnésio, cálcio, sódio, potássio e outros. 


Ela é absorvente, suga todo corpo estranho contido no ser humano, que chamamos de toxinas, como ácido úrico, pus, catarro, tumores, excesso de calor, radioatividade e drogas em geral, inclusive os remédios, que são substâncias químicas sintéticas. 


Na radioterapia e na quimioterapia, a argila elimina os efeitos colaterais, trazendo vitalidade e bem-estar, chegando ao ponto de evitar queimaduras, enjoos ou queda de cabelos.



Certa vez, mostrei um livro sobre este assunto a um médico oncólogo, e ele disse acreditar em tudo que estava escrito ali; argumentou, no entanto, que se adotasse esta técnica, seus clientes iriam embora. 


E um pediatra me disse assim: “Sou contra antibióticos; determinadas doenças tem um ciclo a seguir, até serem eliminadas, não precisando de remédios; porém, se eu não aviá-los, a mãe leva a criança para outro médico que os prescreve. Então, ela fica mais segura, pensando que o antibiótico fez efeito, mas a cura aconteceu porque a doença alcançou o ciclo necessário.



A argila é também adsorvente, porque doa para o corpo humano seus nutrientes, além da energia vital, fator indispensável para a cura. Ela tem grandes poderes radioativos e eletromagnéticos. 


Por causa disto, pode não só reconstituir células, como revitalizar o corpo. Daí o conselho de andar descalço sobre a terra (de preferência úmida e revolvida), o que fortifica o sistema nervoso, expulsa matérias mórbidas pelos pés, facilitando a penetração no corpo de correntes magnéticas e elétricas da terra e da atmosfera. Observar o local


Seria excelente se pudéssemos dormir em contato com a terra ou ficar enterrados, durante algum tempo, deixando apenas a cabeça do lado de fora.



Outras propriedades da argila:

* Bactericida – Microorganismos contidos nela, entrando em contato com bactérias, se multiplicam milhões de vezes, destruindo-as muito mais rápido do que a capacidade que as bactérias têm de agir, eliminando, assim, qualquer infecção.
* Refrescante – Retém calor muito rapidamente, absorvendo o que chamamos de FEBRE INTERNA, descongestionando os órgãos e eliminado dores e mal-estar em geral.
* Cicatrizante – Cicatriza não só feridas, como também queimaduras, muitas vezes eliminando completamente as cicatrizes.
* Calmante, desinfetante – Permite o equilíbrio total do corpo. Funciona na maioria das doenças.



A argila foi usada como terapia desde os tempos de Homero (século IX a.C.) e de Hipócrates, o pai da Medicina (460-337 a.C.). Jesus também utilizou o barro para curar um cego de nascença (João 9.6). 


“Na Idade Contemporânea, destacou-se o Dr. Julius Stumpf, médico berlinense, que observou, num cadáver de uma mulher que havia sido enterrada há mais de três anos, que o corpo e as vestimentas estavam perfeitamente conservados. 


Comprovou-se, então, que a terra argilosa possuía elementos refratários às bactérias e à decomposição, e que poderia ser apropriada para o tratamento de feridas. Sua teoria foi comprovada em 1.886, quando alguns médicos tinham decidido amputar a perna de um paciente devido a uma gangrena causada por um grande abscesso.


Como o paciente recusou-se a ter a perna amputada, os médicos decidiram aplicar, segundo as idéias do Dr. Stumpf, a argila diretamente sobre o abscesso. 


Em pouco tempo, o odor fétido desapareceu, e a perna se restabeleceu. Atualmente, está sendo usada em todo o mundo, principalmente na América Latina e Europa”. 


As plataformas de petróleo a usaram muito, no passado, para purificar a gasolina, devido à capacidade da argila de puxar as impurezas.


São muitos os casos de cura, inclusive de pessoas já desenganadas. Tratei-me de um problema sério de coluna, com reações positivas imediatas. 


Alguns afirmam que a argila pode até desmontar vértebras. Vi um médico tratar uma pessoa com fratura exposta, feridas e queimaduras, somente com argila. O sucesso foi total.


Comumente, ela é usada em cataplasmas, com água fria – água quente só em casos específicos, quando o corpo está muito debilitado, sendo que a primeira aplicação é muito mais eficaz, porque retira a febre interna mais rápido. Se houver dúvida, toque a pele; só se estiver muito fria é que necessita do barro quente. 


Ao ser usada em áreas doentes como braços, pernas, joelhos etc., deve-se sempre colocar também no abdome, porque é aí que está instalada a verdadeira doença, no aparelho digestivo; do contrário, podem surgir determinadas reações, como coceira, feridas e vermelhidão, entre outras. 


Para segurança, também é importante vigilância quanto à alimentação e uso de enemas. Com estas precauções, só não se diz que o resultado é 100% garantido porque “… na medicina e no amor, nem nunca, nem sempre…”.

Colocar a argila diretamente sobre a pele nem sempre é cômodo e seguro, por isso pode-se usá-la em folhas de couve, bananeira, repolho ou em tecidos absorventes e de fácil penetração, como gazes ou fraldas. Externamente, ainda é usada em compressas, máscaras, sabonetes, shampoos, etc. 


Manipular a argila com as mãos ajuda a eliminar raivas e melhora a clareza de pensamentos, desenvolvendo a plena atenção. 


Ela é usada, ainda, na agricultura, para equilibrar o PH do solo, nas indústrias, alegorias etc.


Internamente, usa-se nos bochechos, para afta, gengivite e para beber, COM CUIDADO E ORIENTAÇÃO DE ESPECIALISTA, porque pode provocar prisão de ventre e outras conseqüências, se a pessoa estiver usando qualquer tipo de droga, inclusive remédios alopáticos.

MODO DE USAR

Uso Interno: Mistura-se uma colher (de sopa) de argila em um copo d’água, ou deixa-se decantar de um dia para o outro. 

Tomar de preferência em jejum, uma vez ao dia. Chegando ao estômago, ela atrai as toxinas de todo o corpo, e é eliminada pelos intestinos. Neste momento, são necessários enemas e algum chá ou fruta laxante. 


Também usa-se internamente para vermes como ameba e oxiúros, para desidratação, diarréias e enterites (inflamação da mucosa do intestino), em pílulas ou comprimidos. 


Para envenenamento, usar argila decantada com chás ou suco de limão. Ela regulariza o metabolismo e tonifica, reativando as funções dos órgãos preguiçosos.


Uso Externo: Elimina rugas e rejuvenesce, desencrosta os poros, dando uma aparência fresca e juvenil. Tira olheiras, reumatismo crônico, artrite, câncer e gota; depura o sangue, elimina dores, estimula a circulação sangüínea e linfática e combate os radicais livres. Pode-se passá-la diretamente na pele, caso não haja feridas.



A maneira mais usada é em forma de cataplasmas: misturar a argila com água (com as mãos ou colher de pau), numa vasilha de barro, vidro ou madeira, deixando ficar com a consistência de massa de pão. 


Pegar uma fralda, abrir o barro do meio da fralda até a periferia (como se abre uma massa para pastel), deixando-o com um centímetro de altura, com uma margem de dois centímetros nas bordas da fralda; colocar a outra metade da fralda sobre a argila, dobrando a borda para não vazar. É como se a argila ficasse dentro de um saco fechado. 


 Colocar, então, no abdômen, colocando, por cima, um jornal dobrado em quatro partes, e depois um tecido de flanela para abafar e enfaixar. Deve-se deixar bem justo, mas sem atrapalhar a respiração.


A terra deve ser colhida a um metro do solo ou dois palmos, se for barranco, para evitar impurezas (é esta terra que chamamos de virgem). 


Deve estar longe de lixos, agrotóxicos, hospitais, cemitérios ou local suspeito de contaminação. Também há grandes profundidades onde a terra está molhada, e corre-se o risco do lençol freático estar contaminado.


Após retirar a terra, deve-se expô-la ao sol, por, no mínimo, duas horas, não apenas para secagem, mas também para que os raios solares possam penetrar, vitalizar e trazer os elementos radioativos, invisíveis e curativos. 


Não há preferência de cor, ela apenas deve ter liga, isto é, não ser arenosa. Cada pessoa que toca esta argila vai ter influência sobre ela. Se a pessoa carregar raivas, medos etc., a argila vai absorver e absorver.



IMPORTANTE: Os pés devem estar sempre aquecidos. É bom Usar meias ou bolsas de água quente. Também todo o corpo deve estar protegido do frio.




CONTRA-INDICAÇÃO: Não colocar diretamente nas feridas (usar proteção, com folhas ou fraldas), e não usar se estiver tomando antibióticos. Nunca reaproveitar a argila. Se houver doença contagiosa, enterrar profundamente e distante de moradias.



ARMAZENAGEM : Armazenar em vasilhas de madeira, vidro, pedra ou barro, nunca alumínio, plástico ou inox. Estes cuidados também devem ser observados no preparo. Por isso é recomendado o uso de colher de pau. Armazenada, a argila dura tempo indeterminado, desde que seja exposta ao sol uma vez por mês.



A aplicação da argila é simples. Com um pouco de técnica, evita-se sujeira e trabalho desnecessário.


O barro foi mais um presente que Deus nos deu, através da natureza. No próximo número, o diretor do Centro de Estudos Naturistas de Barcelona (Espanha) nos falará sobre “A argila e a beleza”.
Muita paz e alegria!

 Leite de Alpiste - Colocando a pedidos. Não experimentei.

O alpiste passou por profunda pesquisa na Universidade Nacional do México em função do alto valor protéico e dos seus aminoácidos estáveis que podem circular seguros e indestrutíveis pelo organismo. (sempre bom aprofundar sobre pois estamos na época do modismo) Tirar os grãos que não estão bons e fazer uma boa limpeza antes de usar.

A gramínea é originária do Mediterrâneo e comercializada em todo mundo apenas como alimento para pássaros domésticos.

Algumas pesquisas revelam que o alpiste tem a capacidade de recarregar o organismo humano.

  Segundo os dados da universidade mexicana, as enzimas do leite de alpiste desinflamam nossos órgãos, em especial o fígado, os rins e o pâncreas.

Ajudam no controle do diabetes , e colaboram no equilibrio do  fígado porque conseguem aumentar o número dos hepatócitos.
Os rins ao serem recarregados com as enzimas do alpiste passam por uma saudável diurese que elimina o excesso de líquidos do corpo.

Também reduz a hipertensão e, por possuir a enzima lipase que dissolve rapidamente depósitos de gordura das veias e artérias, é grande remédio contra obesidade e restaurador da tonicidade muscular.
  Este leite de enzimas reduz taxas altas de colesterol e previne o afunilamento das artérias.

Como é diurético funciona em casos de cistites, abundância de substâncias nitrogenadas no sangue, ácido úrico, gota, hipertensão arterial, edemas, sobrepeso acompanhado de retenção de líquidos, gastrites e úlcera do estômago.
 O leite de enzimas do alpiste também reduz problemas relacionados à urina, pedras nos rins e bexiga.

Por ser emoliente relaxa e abranda as partes inflamadas, além de refrescante se usado externamente em eczemas.

Consumir leite de alpiste, segundo as pesquisas, é uma injeção de saúde e uma forte vacina contra diabetes ou qualquer outra enfermidade que ocorra por altos índices de acidez sanguínea.
Portanto, é importante consumir pelo menos dois ou três copos do leite de alpiste para assegurar uma figura delgada e saudável, obviamente acompanhada por uma mente sã e leve.

Preparo do leite de enzimas
Durante toda noite, deixe de molho três colheres de sopa de alpiste. São colheres rasas, ou seja, passa- se uma faca para não ficar aquela colher cheia.
 

Coloque 5 gotas de água oxigenada P10 para eliminar qualquer micro organismo que possa existir.  Pela manhã, despeje a água em que as cinco colheres de alpiste ficaram de molho e, com um litro de água nova e limpa, bata o conteúdo no liquidificador.  

O resultado será um leite espumoso de sabor suave que deverá ser ingerido em jejum ou com alimentos sem açúcar; ingerir também, antes de dormir.  O ideal é beber, pelos menos, dois a três copos no dia. O ideal é fazer todos os dias. Não estou aqui indicando. Não experimentei.
 
Nunca adicione frutas ou açúcar ao leite das enzimas.  Açúcar refinado é o veneno que destrói as enzimas e os benefícios de qualquer alimento.  Nada sobrevive ao açúcar refinado. A acidez mata as enzimas.

TESTADO E APROVADO - A Cássia havia sugerido coar o "Leite de Alpiste" num coador de "VOIL". Pois bem, eu fiz o coador de "VOIL" e utilizei da seguinte maneira: depois de bater as sementes de alpiste no liquidificador eu o fiz o seguinte:

1 - Passei todo líquido do copo do liquidificador na peneira.

2 - Com uma colher grande eu retirei toda espuma que se forma sobre o leite.

3 - Após retirar toda espuma eu passei o "Leite de Alpiste" num coador de "voil".

4 - Resultado: o coador de "voil" reteu todas as partículas da "casca" de alpiste e com muita facilidade (rapidez), deixando passar, para o leite, todo o "pozinho branco". Maravilhoso.


Legalmente é obrigatória essa declaração abaixo:

As informações, sugestões e idéias apresentadas neste documento são apenas para informação e não devem ser interpretadas como conselhos médicos, diagnóstico de doenças, ou para efeitos de prescrição. Os leitores devem consultar seu médico antes de iniciar qualquer programa de tratamento alternativo. As informações contidas neste documento não devem ser usadas para substituir os serviços ou as instruções de um médico ou profissional de saúde qualificado.
Este produto não é destinado a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença, dor, ferimentos, deformidade ou condição física ou mental. Consulte sempre seu médico.